Biotecnologia da Simbiose entrega alta eficiência e ótima relação custo-benefício

    O mofo-branco é uma doença causada pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum que apresenta alto potencial de dano na cultura da soja. Estima-se que 23% da área de produção de soja no Brasil necessite da adoção de medidas integradas de controle da doença.

    Uma das principais dificuldades de controle do mofo-branco é a sua capacidade de formar estruturas de resistência na ausência de hospedeiros. Essas estruturas são conhecidas como escleródios, formadas a partir do próprio micélio e substâncias de reserva que permitem sua sobrevivência até que as condições ambientais sejam favoráveis à sua germinação. Entre esses fatores estão temperatura amena, clima chuvoso e alta umidade relativa do ar. Ao germinar, os escleródios originam apotécios que produzem uma grande quantidade de ascósporos, que possuem a capacidade de infectar hospedeiros suscetíveis como a soja e o feijão.

    A decisão de adotar medidas de controle deve ser feita baseada no monitoramento por meio da amostragem de solo em um metro quadrado, de zero a cinco centímetros de profundidade em vários pontos da lavoura. Caso a média das amostragens supere um escleródio a cada cinco metros quadrados, medidas de controle devem ser implementadas.

    A partir disso, para manejar o mofo-branco devemos integrar medidas de controle como a rotação de culturas, formação de palhada, produtos químicos e microbiológicos. Tratando-se de controle microbiológico com a utilização de fungos do gênero Trichoderma, o mecanismo de ação é a inviabilização dos escleródios presentes no solo por meio de ação direta com produção de enzimas hidrolíticas.

>> Converse com um especialista

    Buscando atender a demanda de produtos comerciais com esse agente de controle, a Simbiose desenvolveu o fungicida microbiológico StimuControl Evolution® à base do fungo Trichoderma harzianum, cepa CCT 7589, com concentração de 4x10 UFC mL⁻¹ de produto, além disso, o StimuControl Evolution® foi desenvolvido com uma formulação diferenciada em dispersão em óleo (OD), conferindo melhor praticabilidade na aplicação, retenção da pulverização e espalhamento do produto.

    Após a aplicação, o StimuControl Evolution® parasita e degrada esclerócios de Sclerotinia sclerotiorum antes da germinação dos mesmos, ou seja, quando o escleródio se encontra na forma de estrutura de resistência no solo. Desta forma, o biofungicida reduz a quantidade de escleródios no solo e o número de plantas infectadas pela doença.

    Na aplicação do StimuControl Evolution® devem ser utilizadas técnicas de pulverização que proporcionem uma boa cobertura da área tratada, já que o objetivo é atingir o escleródio na superfície do solo. Além disso, devemos realizar as aplicações em horários nos quais as condições ambientais sejam de baixa luminosidade (noturnas), com solo úmido e em estádio vegetativo da cultura que permita que a aplicação atinja o solo. Por fim, o controle do mofo-branco com StimuControl Evolution® apresenta-se como uma ferramenta de alta eficiência, resultando em uma ótima relação custo-benefício.

Por eng. agrônomo Ivan Carlos Zorzzi, supervisor de Desenvolvimento de Mercado do Grupo Simbiose Agro, e eng. agrônomo Lucas Guilherme Bulegon, desenvolvedor de mercado (PR).
ivan.zorzzi@simbiose-agro.com.br |
lucas.bulegon@simbiose-agro.com.br

Atenção: Este produto é perigoso à saúde humana, animal e ao meio ambiente. Leia atentamente e siga rigorosamente as instruções contidas no rótulo e na bula. Utilize sempre os equipamentos de proteção individual. Nunca permita a utilização do produto por menores de idade. Consulte um engenheiro agrônomo.

Conteúdo desenvolvido pela equipe de Comunicação e Marketing do Grupo Simbiose Agro
© | 2021